Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ruas Expostas

Um blogue em português sobre fotografia e fotografia de rua, por Orlando Figueiredo

Ruas Expostas

Um blogue em português sobre fotografia e fotografia de rua, por Orlando Figueiredo

Masterclass de Fotografia de Rua

~ 30 minutos com Nick Turpin ~

A Cidade de Londres pediu a Nick Turpin — @the_nick_turpin — que produzisse um vídeo introdutório à fotografia de rua. O resultado foi uma Masterclass de fotografia de rua, com a duração de 30 minutos que podes ver abaixo. Nick introduz-nos alguns conceitos básicos deste género fotográfico, como a fotografia cândida obtida num espaço público e a importância fundamental da composição no contexto de uma grande cidade, como o é Londres. Antes de terminar, o fotógrafo deixa-nos três tarefas que nos incentiva a partilhar no Instagram, usando a hashtag #ourcitiytogether e a conta @visitthecity.

Street Photography Master Class with Nick Turpin

Nick Turpin — www.nickturpin.com — é um fotógrafo de rua britânico, sedeado em Londres. Em 2000, Turpin estabeleceu o primeiro coletivo internacional de fotografia de rua o iN-PUBLiC — in-public.com.

publicado às 16:58

O perdão ao belo

Susan Sontag, no seu ensaio sobre fotografia intitulado O Heroísmo da Visão, alerta-nos para os perigos da beleza na fotografia. A fotografia é sempre bela! Mesmo a fotografia que busca revelar uma realidade cruel e dura tem impacto no observador, porque é bela. Esta beleza pode, sobretudo a longo prazo, neutralizar as emoções e comprometer a documentação e o manifesto social, intenções iniciais do fotógrafo.

Nas palavras da autora,

Numa sociedade de consumo, mesmo as fotografias mais bem-intencionadas e devidamente legendadas acabam sempre por revelar beleza. […] As protegidas classes médias das regiões de maior abundância, onde são tiradas e consumidas a maior parte das fotografias, conhecem os horrores do mundo sobretudo através da câmara: as fotografias podem causar e causam angústia. Mas a tendência esteticizante da fotografia é tal que o meio que comunica a angústia acaba por a neutralizar. 

Susan Sontag
publicado às 06:02

Sobre...

Sobre o autor

Não, não sou um fotógrafo profissional; sou um professor de física e química, com 53 anos (à data da escrita), apaixonado pela fotografia, desde a adolescência. Os meus primeiros contactos com a fotografia com vista para a parte de trás da câmara remontam ao início dos anos 80, durante a escola secundária. Na Escola Secundária Padre Alberto Neto, em Queluz, junto ao laboratório de química, havia uma pequena câmara escura onde podíamos revelar alguns dos nossos rolos. Infelizmente, era um passatempo caro e, apesar da minha prelação, foi sempre uma atividade ocasional.

Mais tarde, com as possibilidades do digital, a minha dedicação à fotografia pode desenvolver-se. Há uns anos, descobri a Fotografia de Rua e Bruxelas, onde vivo, tornou-se o palco perfeito para abraçar esta atividade com uma dedicação autêntica. Julgo que acabei por me viciar um pouco neste género fotográfico. Saio frequentemente para fotografar e devoro livros sobre o tema.

Quando se faz algo por hobby, significa que se gasta mais dinheiro com isso do que se ganha. E é esse o meu caso. É o que sou: um fotógrafo amador e autodidata e um amante da fotografia; um amante da Fotografia de Rua e um fotógrafo de rua amador. Mas, ser amador não é necessariamente uma desvantagem. Ser amador permite um grau de liberdade na criatividade e na expressão através da fotografia a que um profissional nem sempre se pode dar ao luxo. Isto não conduz, necessariamente, a uma melhor qualidade do trabalho produzido. Porém, são inegáveis os bons momentos passados na rua com a câmara na mão.

É um prazer ser um flâneur nas ruas da cidade onde vivo e nas ruas das cidades e locais que visito.


Sobre o blogue

Este é um blogue sobre fotografia de rua (FdR) ainda que possa abeirar outros áreas da fotografia que, direta ou indiretamente, se relacionem com a FdR. Nem poderia ser de outra maneira, já que a FdR é um género fotográfico construído de interseções de géneros fotográficos variados. Um dos mais difíceis de definir, com certeza, mas também. Como afirma Brian Lloyd Ducket, um género fotográfico capaz de estimular as emoções como nenhum outro.

Um dos objetivos deste blogue é dar a conhecer a FdR, que se tornou numa paixão; talvez mesmo numa obsessão. Mas gostaria que fosse, antes de mais, um espaço de aprendizagem, tanto para o leitor que, espero, possa disfrutar do que aqui escrevo, mas também (talvez mesmo, sobretudo) para mim. Para mim porque a escrita obriga à leitura e à reflexão, processos fundamentais na aprendizagem autónoma, como tem sido sempre o meu caso no contexto da fotografia.

Há, também, a questão da língua. Quero dar o meu contributo para divulgar a FdR na língua portuguesa. Não só para que se fale em português sobre FdR, mas também como consolidação de um ato individual de apropriação de um género fotográfico e artístico que quero expressar na minha língua, apesar de a aprendizagem ter sido desenvolvida em inglês.

Quanto à fotografia de rua, sim pode ser, de facto, difícil de definir, mas quando a vejo reconheço-a; talvez pela forma como estimula as minhas emoções.

Boas leituras.

Bruxelas, 29 de outubro de 2020.

 

publicado às 00:00

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub